sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

HISTÓRIA DO TANGRAM

Conta uma antiga lenda que um poderoso homem chinês possuía, na sua colecção de obras de arte, um lindíssimo quadrado de cerâmica. Um dia, pegou nele para melhor o admirar. Eis senão quando, desgraça das desgraças, o objecto lhe escorregou das mãos, partindo-se em sete bocados. Desesperado, o homem tentou reconstruir o seu quadrado, mas essa tarefa revelou-se muito difícil. Contudo, e enquanto ensaiava as mais variadas tentativas, o homem acabou por descobrir que podia fazer maravilhosas figuras com as suas sete peças. Fez ainda várias outras descobertas acerca delas. Assim nasceu o tangram.
Este jogo, conhecido no Ocidente desde o início do século XIX, é um puzzle constituído por um quadrado, dois triângulos grandes, um triângulo médio, dois triângulos pequenos e um paralelogramo.
Tem inúmeras potencialidades no domínio da Matemática.
Eis algumas delas:
- permite o trabalho cooperativo entre várias crianças;
- fomenta o desenvolvimento de competências na resolução de problemas, tais como: comparar, visualizar mentalmente o todo, verificar uma hipótese;
- promove o conhecimento de várias figuras geométricas e os seus atributos.

1 comentário:

Danielle disse...

Sou muito curiosa,e resolvi procurar saber mais sobre o tangram,as histórias são muito interessantes,mas gostaria de saber quais são as outras virtudes porque em tudo que pesquisei só vi a virtude(paciência)quais são as outras?

Fernando Pessoa

Fernando Pessoa
Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...
(Fernando Pessoa)